A hipertensão arterial é uma doença crônica que, quando não controlada, pode trazer sérias consequências para o paciente.

De acordo com o Ministério da Saúde, 1 a cada 4 pessoas tem sua pressão arterial elevada, o que é um dos principais riscos para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Continue lendo o meu artigo e saiba mais sobre a hipertensão arterial, os seus principais sintomas e como fazer a prevenção dessa doença.

O que é hipertensão arterial?

A hipertensão arterial é caracterizada pela elevação da pressão arterial sistólica ou diastólica, mesmo quando o paciente está em repouso.

Com o passar dos anos, é natural haver esse aumento, como pode ser observado na incidência dessa doença segundo dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia:

  • entre 18 e 29 anos: 2,8%,
  • entre 30 e 59 anos: 20,6%,
  • entre 60 e 64 anos: 44,4%,
  • entre 65 e 74 anos: 52,7%,
  • mais de 75 anos: 55%.

A hipertensão arterial é classificada de acordo com a sua causa, dividindo-se em:

Hipertensão arterial primária

A hipertensão arterial primária corresponde a 90% dos casos e não conta com uma causa definida, ou seja, não é uma consequência de outra patologia.

Nesse caso, há uma variação nos componentes fisiológicos e hemodinâmicos, o que indica que há probabilidade dela ser causada por mais um fator simultaneamente.

Hipertensão arterial secundária

Ao contrário da primária, essa é uma consequência de outras patologias. As mais comuns são:

  • doenças renais, como insuficiência ou obstrução de artérias,
  • apneia do sono,
  • tumores nas glândulas adrenais (feocromocitoma)
  • alterações congênitas como coarctação de aorta
  • problemas na tireoide.

Também pode ocorrer por medicamentos, como anticoncepcionais, ou pelo excesso de álcool.

Quais são os fatores de risco?

Apesar de haver uma grande diferença entre os tipos de hipertensão arterial, existem alguns fatores de risco que predispõem os pacientes a terem essa doença.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, os mais comuns são:

  • histórico familiar,
  • etnia, sendo mais frequente em negros,
  • sexo, com prevalência em mulheres,
  • idade,
  • dieta rica em sódio,
  • sobrepeso,
  • consumo excessivo de álcool,
  • sedentarismo.

Quais são os sintomas?

Muitas vezes não apresenta nenhum sintoma e pode ser identificada apenas por meio de exames de rotina, principalmente no caso da primária.

Já nos pacientes que sofrem dessa patologia devido a outras doenças, é comum que o diagnóstico da anormalidade na pressão ocorra em exames de rotina pedidos pelo médico que já está envolvido no caso.

No entanto, existem indivíduos que reclamam que a hipertensão arterial os faz sentir:

  • tontura,
  • dores de cabeça e na nuca,
  • fadiga,
  • visão turva,
  • desconforto no peito,
  • falta de ar.

Como é feito o tratamento da hipertensão arterial? 

O seu tratamento consiste no controle do nível de pressão arterial. Isso pode ocorrer tanto de maneira medicamentosa quanto pela mudança de hábitos.

Como rotina de tratamento, o cardiologista pede exames que façam o monitoramento para identificar qual é a melhor abordagem para cada paciente e se há, realmente, a necessidade de incluir remédios.

Ainda segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, os tratamentos não medicamentosos também podem ser utilizados como prevenção e envolvem:

  • mudança alimentar, com a inclusão de fibras e diminuição de sódio,
  • atividade física diária,
  • cessação do tabagismo,
  • exercícios de respiração,
  • controle do estresse.

Se não tratada, essa doença pode causar infartos, AVCs, arritmias e insuficiência cardíaca.

Vale ressaltar que é importante que a hipertensão arterial seja acompanhada por um cardiologista que irá controlar e auxiliar no tratamento.
Se você quer mais dicas para ser saudável, continue lendo no meu blog e saiba mais sobre o colesterol bom.